Setembro Amarelo: Como promover a saúde mental e favorecer talentos na sua empresa

O mês de setembro é um bom momento para discutir questões sobre saúde mental no trabalho. De acordo com dados da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), cerca de 96,8% dos casos de suicídio, tema central do Setembro Amarelo, estavam relacionados a transtornos mentais entre eles a depressão e a ansiedade. E todas essas manifestações psicológicas podem acontecer por diversos motivos, mas neste artigo vou tratar apenas sobre o fator trabalho, ambiente que pode ser o início desses episódios.

Existe uma mentalidade de valorização da alta performance, do profissional workaholic vendida nas redes sociais e canais do youtube que, somada às exigências próprias de alguns nichos de mercado acelerados, são favoráveis ao surgimento de doenças mentais ocasionadas pela ansiedade, por exemplo. Questiona-se pouco qual é a melhor forma de se manter um talento ou o que é melhor para o capital humano de cada negócio. Sabe-se pouco onde cada empresa quer chegar. Por isso, tantos profissionais adoecem.

O que não é dito no currículo

Mesmo que uma empresa tenha um clima organizacional equilibrado, nunca é possível saber se está contratando uma pessoa depressiva, com algum distúrbio de cognição, porque isso não é dito no currículo. Porém, esses fatores podem fazer um CEO perder um funcionário talentoso apenas porque ele faltará ao trabalho mais vezes do que o normal por não conseguir levantar da cama. Isso acontece porque o bem-estar mental pouco é visto como investimento em uma empresa. Basta substituir o capital humano.

Não é assim que acontece no Vale do Silício, lugar onde parece que a tecnologia é o centro das atenções quando, na verdade, é o capital humano que assume o protagonismo. Uma grande ideia, que é o santo graal desses negócios, surge de pessoas, não de máquinas. Entre as diferenças encontradas na gestão desses negócios estão modelos que utilizam home office, autonomia na escolha de horários de trabalho e produção ordenada. Afinal, o CEO precisa da melhor hora produtiva do funcionário mesmo que seja às 2h da manhã de um domingo e que ele falte na segunda-feira pela manhã. Um talento nato observa esses ambientes antes de procurar trabalho.

Identificar e investir em talentos

Um exemplo de que identificar talentos e investir em pessoas é o caminho mais óbvio a ser trilhado por uma empresa é a biografia do brilhante nadador Michael Phelps. Ele era uma criança com problemas de concentração, dispersa e sem motivação. Ao encontrar Bob Bowman, seu técnico que, primeiramente, identificou o talento do menino, sua vocação para o esporte foi lapidada, transformando Phelps em um dos maiores medalhistas de natação do mundo. O técnico poderia ter desistido de treinar o garoto devido aos seus problemas e, por isso, um dos atletas mais premiados do mundo, com mais de 37 recordes mundiais batidos, poderia nem existir.

Ambiente favorável

Um ambiente saudável para o trabalho favorece o estabelecimento de uma rotina saudável, que se torna na maioria das vezes produtiva e criativa. Ambientes de descompressão são importantes para que os funcionários saiam do estado de foco intenso e desacelerem. Tirar 30 minutos para tomar um café, caminhar pelo jardim ou mesmo jogar vídeo game, como acontece em empresas como a Google, são artifícios importantes para manter a saúde mental do funcionário e conseguir dele seus melhores frutos sem que isso o adoeça.

Ao mesmo tempo, empresas também podem mascarar uma boa sala de descompressão com assédio e pressão para que o funcionário alongue seu expediente ou abra mão de sua cerveja e energético não tem nada de saudável. A longo prazo, é criado um padrão de funcionário irreal, que abdica de saúde, da prática de exercícios e do convívio familiar. Não existe glamour nisso.

trabalhar demais por longos períodos

Observar, testar e avaliar. O caminho é longo para que uma empresa estabeleça o modelo de trabalho mais adequado para ambos os lados, o talento que sua empresa precisa e CEO deste negócio. O importante é ter a pretensão de tornar o ambiente de trabalho presencial ou remoto mais saudável em sua empresa. Para quem deseja dar o primeiro passo ou adequar a rotina do seu negócio, seguem alguns passos para ajudar no processo.

1 – Saiba o que sua empresa precisa

Nem sempre é preciso cumprir uma rotina de trabalho de 8 horas nem de expediente presencial para atingir os objetivos da empresa. Por isso, um planejamento qualificado, com estabelecimento de metas claras, pode ser o que falta para que se estabeleça uma governança que não submeta seus funcionários a níveis de estresse sem motivo. Com certeza, essa atitude manterá aquele funcionário exemplar por mais tempo.

2 – Flexibilidade de horários gradativa

Com metas bem determinadas, plausíveis e reais, insira a flexibilidade de horário por setores, por funcionário, gradativamente. Ao final de um prazo determinado, faça uma avaliação. Adapte e decida se o resultado trouxe benefícios para a empresa e para o seu funcionário. Nem todo mundo produz em horário comercial, mas nem todo mundo é feito para a flexibilidade de horários. Há quem prefira o escritório e o horário comercial. Identifique e promova o melhor ambiente de trabalho para essas pessoas. O resultado virá!

3 – Acompanhamento do RH

Nem sempre o setor é designado para isso, mas pode ser a porta de entrada para identificar problemas como depressão, ansiedade e até situações mais graves. Uma simples conversa sobre uma falta recorrente ou mesmo por uma meta não atingida pode trazer à tona problemas psicológicos mais profundos. Orientar o funcionário a procurar ajuda é o caminho mais indicado, mostre para ele que sua contribuição é essencial, mas que sua saúde também importa.

4 – Mentalidade laboral voltada para a saúde mental

Um empresa que foca no capital humano é desejada por qualquer profissional. O incentivo ao autocuidado promovido pelo empregador ou até pelos próprios funcionários influenciados pela mentalidade laboral da empresa é importante para que a saúde mental de cada pessoa seja preservada. Qualquer padrão que fuja desta mentalidade pode ser identificado facilmente.

5 – Reuniões com cara nova

A famosa reunião que poderia ser um e-mail pode ganhar uma nova roupagem. Um profissional da área pode ser trazido para uma palestra, um fisioterapeuta pode fazer ginástica laboral ou mesmo o CEO pode dar palavras que promovam a melhoria do clima no ambiente de trabalho. Esse tempo pode ser aproveitado para o foco em saúde mental e a atitude pode trazer benefícios para o cotidiano da empresa.

0 visualização0 comentário